komatsu

NANA

Eu já disse, não faz muito tempo, que meu único e favorito mangá atualmente é NANA. Aliás, o mangá é a única coisa que tem me prendido ao meu passado otaku. De resto, eu prefiro esquecer, por mais que o pessoal me encha o saco falando que não é para eu ter vergonha do que já passou e blablabla. Não é vergonha, gente! É apenas a famosa página virada. Foi bom, foi legal, mas ficou lá atrás, ok? Junto com vááários outros vícios meus, desde Britney Spears até Pokémon. Tudo tem seu tempo e esse tempo passa, acaba. Mas em todo caso, nem é disso que eu vim falar! Foco!

O mangá de NANA já desatrelou há algum tempo do anime e seguiu em frente. As coisas agora estão ficando mais sérias e a história está se aprofundando nos conflitos de cada personagem. É interessante ver como cada um deles carrega seu fantasma pessoal, alguma coisa que os impede de ter o seu final feliz. Me pergunto: até quando isso irá? Tudo ficará bem e o clichê do final feliz irá acontecer ou teremos uma desgraça mortal que nos aprofundará ainda mais na desesperança da vida? Spoilers que eu mesma fui atrás para saber (via Onemanga.com) indicam muito mais a segunda opção...


A edição de número 13 neste mês nas bancas me deixou muito feliz com o amadurecimento da Hachi, a personagem principal (por assim dizer), da série. Antes de mais nada, deixe-me explicar: eu sou uma boba que se identifica com músicas, filmes, quotes e ações de personagens, por isso, fiquei realmente feliz pela reação dela a um acontecimento ruim. Em vez de correr para o primeiro que pudesse socorrê-la (fosse quem fosse), ela encarou a situação de frente e a superou com muita elegância. É o tipo de coisa que eu preciso e já estou começando a fazer :) Reminiscências pessoais em cima de uma obra que eu considero de uma delicadeza tamanha. Deixo um quote dela que sintetiza claramente o que eu levei algumas linhas para discorrer:

"But yesterday and today; I am happy.
I might cry tomorrow, but I may be smiling the day after.
That's enough.
That's the way life is.
If I don't lose hope.
Tomorrow will come."

  
risaborda

Indicados ao Emmy - Os Resultados!

Relutei em fazer esse post. Sério, eu não queria estar escrevendo ele. Mas o farei apenas para deixar registrado aqui minha infelicidade com os resultados. É claro que eu entendo que não posso me basear somente naquilo que existe dentro do mundinho do meu gosto pessoal, que existem dezenas de outras séries muito boas, porém, custava dar um mísero prêmio para a minha favorita?! Pois é, pelo visto, custava. 

Não acompanhei a premiação (no máximo, li alguns tweets a respeito na hora), portanto, sem maiores comentários, destacarei apenas os ganhadores.

Melhor Série Dramática
Big Love; Breaking Bad; Damages; Dexter; House; LOST; Mad MenAdoro LOST, mas, sorry, com House na parada, a briga (ao menos para mim) já está ganha. A série nunca ganhou nesta categoria, porém, com a quinta temporada sendo bem mais tensa do que as anteriores, imagino que seja o momento ideal para isso! ;)

Melhor Série Cômica
Entourage; Family Guy; Flight of the Conchords; How I Met Your Mother; The Office; 30 Rock; Weeds - Vou torcer por How I Met Your Mother por pura e simples devoção à Britney e às pequenas aparições que ela fez, na série hahaha. Sei que tem gente que vai querer me chutar por escolher essa quando a brilhante Family Guy concorre, maaas... gosto é gosto, right?

Melhor Ator em Série Dramática
Bryan Cranston (Breaking Bad); Michael C. Hall (Dexter); Hugh Laurie (House); Gabriel Byrne (In Treatment); Jon Hamm (Mad Men); Simon Baker (The MentalistOpa, outra categoria óbvia para mim. Hugh Laurie já foi nominado ao prêmio três vezes! Já está mais do que na hora dele levar, certo? O Globo de Ouro já se rendeu e o premiou três vezes, então, acho digníssimo ele levar o Emmy agora, ainda mais depois do espetacular desfecho da quinta temporada.

Melhor Atriz em Série Dramática
Sally Field (Brothers & Sisters); Kyra Sedwick (The Closer); Glenn Close (Damages); Mariska Hargitay (Law & Order: Special Victims Unit); Elisabeth Moss (Mad Men); Holly Hunter (Saving GraceZzzz.... queria Lisa Edelstein (Dra. Lisa Cuddy) aí :(

Melhor Ator em Série Cômica
Jim Parsons (The Big Bang Theory); Jemaine Clement (Flight of the Conchords); Tony Shalloub (Monk); Steve Carell (The Office); Alec Baldwin (30 Rock); Charlie Sheen (Two and a Half Men) - Ah meu Deus, Sheldon! <3 Passei os últimos meses obcecada por essa criatura que me faz rir com uma mera aparição de três segundos (logo, me imagine tendo convulsões de tanto rir toda vez que ele abre a boca!). Confesso que vou ficar MUITO feliz se ele levar nessa categoria, mesmo competindo com tantos outros candidatos de peso. Two and a Half Men também é meu xuxuzinho, mas não se compara à loucura que esse nerd me levou em cena!

Melhor Atriz em Série Cômica
Julia Louis-Dreyfus (The New Adventures of Old Christine); Christina Applegate (Samantha Who?); Sarah Silverman (The Sarah Silverman Program); Tina Fey (30 Rock); Tony Collette (United States of Tara); Mary-Louise Parker (WeedsTorcerei pela Christina Applegate só porque ela me fez rir em Tudo para Ficar com Ele, com a Cameron Diaz, haha.

Melhor Ator Coadjuvante em Série Dramática
William Shatner (Boston Legal); Christian Clemenson (Boston Legal); Aaron Paul (Breaking Bad); William Hurt (Damages); Michael Emerson (LOST); Jon Slattery (Mad MenCadê Robert Sean Leonard? (Dr. Wilson) :( House não seria o mesmo sem ele...

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Dramática
Rose Byrne (Damages); Sandra Oh (Grey’s Anatomy); Chandra Wilson (Grey’s Anatomy); Dianne Wiest (In Treatment); Hope Davis (In Treatment); Cherry Jones (24- Idem ao comentário de melhor atriz em série dramática :(

Melhor Ator Coadjuvante em Série Cômica
Kevin Dillon (Entourage); Neil Patrick Harris (How I Met Your Mother); Rainn Wilson (The Office); Tracy Morgan (30 Rock); Jack McBryer (30 Rock); Jon Cryer (Two and a Half Men) - Aqui sim, vamos dar uma chance à Two and a Half Men. Ah vá, ele merece o prêmio. As boas piadas são sempre feitas em cima dele, haha! // Para não dizer que não acertei nenhuma, há! Mas era BEM previsível, vá.

Melhor Atriz Coadjuvante em Série Cômica

Kristin Chenoweth (Pushing Daisies); Amy Poehler (Saturday Night Live); Kristin Wiig (Saturday Night Live); Jane Krakowski (30 Rock); Vanessa Williams (Ugly Betty); Elizabeth Perkins (Weeds- Zzz... até faria umas apostas, maaas... não fiquei tentada à. Next!

Melhor Elenco em Série Dramática
Damages; Friday Night Lights; Mad Men; True Blood; The Tudors - Opa, True Blood em jogo? Vamos nele, então! // Outra suuuper previsível que acertei, há! Aliás, muito me falta vergonha na cara para acompanhar esta série decentemente...

Melhor Elenco em Série Cômica
Californication; The Office; 30 Rock; United States of Tara; Weeds - Zzz... next!

Melhor Apresentador de Reality Show de Competição
Phil Keoghan (The Amazing Race); Ryan Seacrest (American Idol); Tom Bergeron (Dancing With the Stars); Heidi Klum (Project Runway); Jeff Probst (Survivor); Padma Lakshmi (Top Chef) - Mas hein?! Dispenso os reality show, next!

Melhor Reality Show de Competição
The Amazing Race; American Idol; Dancing With the Stars; Project Runway; Top Chef - Idem acima!

House ainda concorre em uma categoria técnica: - há! A surpresa! House levou nesta daqui :D Como as categorias técnicas não tem uma divulgação tão massiva quanto as principais da premiação, fiquei sem saber. Não fiquei oooh, super feliz, mas pelo menos, amenizou meu descontentamento :)

Outstanding Sound Mixing For A Comedy Or Drama Series (One Hour)


House • House Divided • FOX • Universal
Media Studios in association with Heel and Toe Films, Shore Z Productions and Bad Hat Harry Productions
Von Varga, Production Sound Mixer
Richard Weingart, Re-Recording Mixer
Gerry Lentz, Re-Recording Mixer

E que venha o VMB! (não que eu tenha feito apostas nesse, mas é o próximo prêmio na sequência ;D)

  • Current Music
    Party in the USA - Miley Cyrus
  • Tags
    ,
marion, marriot, leca, m2m

Filme 19/48 - A Verdade Nua e Crua

A melhor coisa que pode acontecer quando você espera demais por um filme é ele ser ainda melhor do que as suas expectativas. Foi o que aconteceu com o mais do que já comentado aqui, A Verdade Nua e Crua.
 
Falei dele em dois momentos aqui e neste final de semana, arrastei o namorado para assistir comigo. Engraçado que ele foi achando que dormiria na sessão (por ser uma comédia romântica e tudo mais), mas pagou a língua bonito! Adorou o filme, riu tanto quanto eu e nem ligou para os meus suspiros pelo Gerard Butler (acho) - só tentou me impedir de ver o outro cara sem toalha, haha.
 
Me arrependi por ter sentido inveja da atriz principal, Katherine Heigl. Ela é uma sortuda filha-da-mãe por poder contracenar com o Gerard, mas também, o fez por merecer. Arrancou dezenas de risadas do cinema com suas neuras de mulher controladora e suas tentativas (acertivas!) de atacar sendo a mulher sexy que todo cara deseja.
 
Pois bem, o filme. Ela, a romântica incondicional, à espera do cara perfeito, consumidora de todos aqueles livros babacas de auto-ajuda para tentar salvar relações (do tipo "Os dez mandamentos para um encontro perfeito", etc), mas ao mesmo tempo, uma excelente pessoa e tremenda profissiona; encontra ele, o cafajeste padrão, cujo programa de televisão é justamente para falar disso: a verdade nua e crua (neste caso, a tradução coube perfeitamente ao título original do filme, que na realidade é The Ugly Truth) que dita os relacionamentos entre homens e mulheres, segundo a visão dele.

O filme explica de um jeito bem bacana o porquê cada lado (homem/mulher) enxerga a relação de um jeito. E o mais excelente ainda é o final, que eu não contarei, óbvio, para não estragar a graça de quem ainda verá o filme. E vocês DEVEM vê-lo, porque ele vale a pena por uma série de motivos que vão muito além do peitoral do Gerard Butler (hehe). Sério. A trilha sonora, por exemplo, me enlouqueceu. Abre com Katy Perry e fecha com Flo Rida. No meio, dezenas de músicas deliciosas, desde aquelas para dançar colado (oi, Gerard Butler, quero dançar contigo, meu beeem!), até aquelas para curtir sozinho, de meia, arrumando a casa ;)
 
E no mês que vem teremos maaaais Gerard Butler no cinema! O filme Gamer, estrelado por ele, estreia no dia 02 de Outubro.
  • Current Music
    Paparazzi - Lady Gaga
  • Tags
komatsu

Livro 8/36 - Amanhecer

Minha chefe me entregou o livro com a seguinte recomendação "É o melhor livro da série! Aposto como você vai amar!" - #NOT. Não gostei. E explico o porquê em três simples pontos:

1) O livro começa com uma imoralidade absurda. É sexo e apenas isso.
Ok, vá, não é só isso... temos a linda festa de casamento e tudo mais. Mas na realidade, o casamento é apenas um pretexto moral para partirem para o que realmente interessa: a lua-de-mel! E a Bella é uma devassa desde o começo da série, o Edward é um vampiro (sensual por definição), junte isso e o que você terá? Sexo selvagem com direito a travesseiros estourados e camas quebradas! É óbvio que a autora não descreve uma ceninha sequer, afinal, ela não está narrando uma cena de True Blood, mas sim, um livro para adolescentes. Mas bem, todos nós já somos grandinhos e sabemos ler nas entrelinhas, correto? Então, é tanto que chega uma hora em que cansa! Ela gasta páginas e páginas narrando o quão insaciáveis ambos são. Desnecessário e degradante. Eu gostei da série porque no primeiro livro ela soube construir um tipo de amor maravilhoso, transcedental, aquele tipo de casal que te faz suspirar e torcer para que tudo acabe bem com eles. Daí, no último livro, ela desanda e banaliza os dois da forma mais comum possível. Feio, Stephenie, você deveria cuidar melhor dos personagens que você mesma criou.

2) O meio é uma nojeira. Sério, tudo é sangue, caos, destruição, morte e mais sangue. Tive náuseas lendo certas partes!
É aí que eu começo a me perguntar que tipo de drogas essa autora tomou/cheiro/injetou para desenvolver esse livro. As coisas que ela inventa são macabras! Ela diz que os vampiros dela são diferentes, então, foi lá e criou essa gravidez bizarra entre uma humana e um vampiro, onde a criatura por eles gerada vai matando a mãe aos poucos por dentro. Veja só que coisa positiva para se ler, não? E qual a maneira de acalmar a besta híbrida? Tomando sangue de canudinho, é claro!!! :DDD Sério, quando eu soube via spoilers, admito, que ambos teriam um filho, eu fiquei feliz por eles. Só que nunca imaginei que seria através dessa gravidez bizarra onde a cada dia uma costela nova é quebrada e a mãe continua lá felizona e pronta para o que der e vier...

3) O final é o que salva o livro da podridão completa. Mesmo assim, ainda deixa muito a desejar.
Quando FINALMENTE o rebento nasce e a Bella se torna vampira, as coisas parecem melhorar um pouco. Ela abandona toda essa besteira de sexo all the time e dor, sangue e contrações e parte para o que realmente empolga: lutas entre vampiros! :D É claro que não é tão bom quanto parece pois a autora fica apenas nas preliminares, por assim dizer (já que estamos falando de sexo :P). Basicamente, o que acontece é: os Volturi ficam sabendo da criatura bestial que nasceu entre os dois e vão até lá de mala e cuia para eliminá-la. Sabendo disso com antecedência (e viva Alice! Praticamente a personagem mais bacana da série!), os Cullen resolvem chamar toda a ajuda possível para conseguir convencer os Volturi de que a criança deles não é do mesmo tipo das crianças imortais que há muito causaram caos e destruição sobre a Terra. Com isso, ficamos vendo um trilhão de outros vampiros distintos (cujos nomes/feições nunca decorarei) e todo um clima de fim do mundo se estabelece para finalmente, quando os Volturi chegam, tudo ser resolvido na base de argumentos bem elaborados. Ou seja, sorry, no pancadaria again :T

Talvez no filme eles encaixem/adaptem isso, como fizeram no primeiro, onde incluíram umas boas cenas de luta que ficaram só na nossa imaginação enquanto líamos o livro. Aliás, quero só ver o filme deste livro, hahaha! Ou a adaptação vai ter um trabalho dos infernos para tornar isso viável, ou o filme será classificado como +18, simples assim.
 
E vale lembrar que a chegada de Lua Nova ao cinema está cada vez mais perto :) 20 de Novembro E depois de ver o trailer abaixo, fiquei AINDA mais ansiosa. Esse filme promete ser bom, tenho quase certeza de que não decepcionará tanto quanto o primeiro (mas nunca se sabe o que eles são capazes de avacalhar, né :P).
 

bella

Patrick Swayze

Logo que abri o TweetDeck ontem à noite, não demorou muito para alguém soltar algum comentário relacionado a morte dele. Minha primeira reação, é claro, foi não acreditar, duvidar, achar que era alguma piada do momento. Engraçado... reagi da mesma forma à morte do Michael Jackson. Em ambas, não era piada.

Uma rápida busca na página inicial da UOL confirmou o que eu não queria acreditar: Patrick Swayze morre aos 57 anos.

A mídia só tem citado Ghost como seu principal filme, mas para mim, o que vai para todo o sempre o marcar é Dirty Dancing. Desde os tempos em que este filme batia cartão junto com A Lagoa Azul nas tardes do SBT, sou apaixonada por ele. Hoje, em tempos modernos, sou uma feliz detentora do DVD (original, diga-se de passagem) e assisto sempre que sobra algum tempo para me esparramar no sofá e ver um bom filme debaixo das cobertas.

É claro que também adoro Ghost e outros trabalhos do ator, mas não adianta... Certos filmes marcam mais do que o ator em si. E talvez no caso deste filme, as músicas marquem ainda mais do que o filme ou o ator em questão. Sou do tipo que sai do cinema cantarolando a trilha sonora do filme, então, imagine o quanto não sou apaixonada por esses musicais antigos? É praticamente meu estilo favorito de filme (ainda volto aqui para falar da minha obsessão por Moulin Rouge e especialmente, Grease).

Portanto, este post fica sendo uma singela e muito pequena homenagem a ele que fez tantos (além de mim) se emocionarem durante sua carreira. Descanse em paz, Patrick. E obrigada por tornar a vida mais bonita durante sua passagem por ela.
  • Current Music
    Hungry Eyes - Eric Carmen
  • Tags
marion, marriot, leca, m2m

Apostas para o VMA 2009 - Os Resultados!

Acabou de acabar o VMA pela MTV Brasil e eu já vim correndo postar (afinal hoje já é segunda e eu já deveria estar há muito na cama, há!). Fui escrevendo o post a cada prêmio que saía e apresentação que acontecia juntamente com os milhões de tweets da noite (não só meus como de 90%) da minha timeline. Detalhe: os outros 10% eram os anti-VMA extremamente possessos pelo batalhão de tweets desta noite SÓ sobre a apresentação, hahaha. Mas entendam, é impossível assistir uma premiação dessas sem comentar, são MUITAS coisas bizarras acontecendo no mesmo lugar! Mas enfim, vamos ao resumão dos prêmios:

Vídeo do ano - São concorrentes pesados, mas não consigo escolher outra opção. Além do meu amor incondicionável de fã há décadas dessa mulher, não há como negar que Womanizer é um clipe excelente, daqueles que você para o que for para assistir, pq tem personagens, tem dança, ritmo, sincronia, ou seja, tem o que é necessário para levar um prêmio assim.
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)" - Uhn, ok. Ela não havia levado nenhum outro (fora os técnicos), então, pronto, fica com o maior da noite, rá. Particularmente, não gostei, queria que a Brit-Brit tivesse levado :T Maaas... sei reconhecer o peso que Single Ladies teve esse ano. Não foi injusto, mas não foi do meu agrado pessoal. Simples assim.
Lady Gaga - "Poker Face"
Eminem - "We Made You"
Kanye West - "Love Lockdown"
Britney Spars - "Womanizer"

Artista revelação - Alguém se atreve a negar que esse foi o ano dela?! A mulher estourou, apareceu, causou, fez de tudo e merece mas do que ninguém o prêmio de revelação. Até porque os outros não se revelaram o bastante, já que eu mesma não reconheço nenhum dos outros nomes, hehe.
Lady Gaga - "Poker Face" - Meio óbvio acertar este, né? ;) E ela subiu no palco mumificada de vermelho e ficou todo mundo se perguntando como ela falaria, hahaha! Depois arrancou a carapuça (?) e agradeceu a Deus e aos gays (é, isso mesmo que você entendeu) e ficou toda feliz com seu primeiro astronauta ;)
Drake - "Best I Ever Had"
3OH!3 - "Don't Trust Me"
Kid Cudi - "Day N' Nite"
Asher Roth - "I Love College"

Melhor Vídeo Masculino - Pode ter featuring alguma mulher nessa categoria? Haha, então tá, né. Estou indo completamente no chute nessa categoria, fico com a pulga atrás da orelha por causa do Eminem, o cara sempre choca nos clipes, enfim, é esperar para ver.
Eminem - "We Made You"
Kanye West - "Love Lockdown"
Jay-Z - "D.O.A. (Death of Auto-Tune)"
T.I. feat. Rihanna - "Live Your Life" - COMO EU NÃO VI ESSE AQUI CONCORRENDO?! Eu absurdamente AMO essa música desde que vi o cover do Simple Plano no show deles no Brasil! =OOO Vacilo meu ;( Mas enfim, foi o ganhador da noite e eu achei muito bom! ;)
Ne-Yo - "Miss Independent"

Melhor Vídeo Feminino - Pq a Britney não entrou aqui?! :O Enfim... Vou arriscar de Taylor Swift nesta daqui porque o clipe dela para esta música é a coisa mais fofa e surreal de meiga que há em todo esse mundo cor-de-rosa e eu simplesmente adoro assisti-lo.
Katy Perry - "Hot 'n' Cold"
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Kelly Clarkson - "My Life Would Suck Without You"
Lady Gaga - "Poker Face"
Taylor Swift - "You Belong With Me" - ACERTEI NA MAIOR CAGADA SORTE, HAHAHA! Foi o primeiro prêmio da noite e ainda teve o bônus de um climão que não precisava ter acontecido, mas que marcou a noite do VMA: o Kanye West subiu aleatoriamente no palco e disse que a Beyoncé é quem merecia ganhar, pq o clipe dela era o melhor do ano. A Taylor ficou que não sabia onde enfiava a cara, tadinha =/ Mas o bom é que depois a própria Beyoncé a chamou de volta ao palco e ela pôde terminar seus agradecimentos. Luxo total a atitude da Bee e quem saiu queimado na história toda, é claro, foi o tosco do Kanye.
Pink - "So What"

Melhor Vídeo de Hip Hop - Pode não ser o melhor clipe do mundo, mas tem lá o seu mérito. Voto mais pela música que gruda mais do que chiclete na cabeça da gente, o que não significa necessariamente, que seja ruim.
Eminem - "We Made You" - É, levou o Eminem ;) O cara estava sossegado na apresentação, foi legal, parabéns!
Kanye West - "Love Lockdown"
Jay-Z - "D.O.A. (Death of Auto-Tune)"
Asher Roth - "I Love College"
Flo Rida - "Right Round"

Melhor Vídeo de Pop - Alguma dúvida do meu voto? Womanizer again, for sure. A mulher ainda é a rainha do pop para mim, não importa o que digam. Mas que a briga vai ser boa, ah se vai... Aliás, já quero ver como vai ficar o twitter no dia da premiação, haha! O pessoal vai sair no tapa pelas suas favoritas ;)
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Lady Gaga - "Poker Face"
Britney Spears - "Womanizer" - Acertei, há! ;D Mas só pq amo demais essa mulher! Infelizmente ela não apareceu para receber o prêmio :( Mandou apenas um oizinho por vídeo junto com os dançarinos da turnê ;/
Cobra Starship feat. Leighton Meester - "Good Girls Go Bad"
Wisin y Yandel - "Abusadora"

Melhor Vídeo de Rock - Confesso: votei pelo amor desenfreado que tenho pela banda. Não entendo muito bem a indicação para essa categoria. Coldplay e rock? Uhn, algo me soa estranho nessa mistura. Mas enfim, pulga atrás da orelha para Green Day, vamos ver no que dá (e se Paramore ganhar, vou falar que roubalheira por causa de Twilight, como aconteceu no MTV Movie Awards! >D)
Coldplay - "Viva la Vida"
Kings of Leon - "Use Somebody"
Green Day - "21 Guns" - OK, errei, mas fiquei feliz pelo resultado (que já esperava, leia acima). Gosto deles há anos, gosto muito dessa música (mais pelo filme de Transformers do que qualquer outra coisa, hehe), então, merecido ;)
Fall Out Boy - "I Don't Care"
Paramore - "Decode"

Melhor Coreografia - Whoa! Difícil essa, não? Mas por mais que eu adore a minha Britney, acredito que não vai rolar para ela nesta categoria, não. A Beyoncé quando começa com aquela coreografia de "Oi, estou baixando o santo aqui, me dá cinco minutos?" não tem para ninguém (e devo dizer que meio que me assusta às vezes :P).
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)" - Indiscutivelmente merecido prêmio ;)
Britney Spears - "Circus"
Ciara feat. Justin Timberlake - "Love Sex Magic"
AR Rahman & Pussy Cat Dolls feat. Nicole Scherzinger - "Jai Ho! (You Are My Destiny)"
Kristinia DeBarge - "Goodbye"

Melhor Direção - Não entendo nada de termos técnicos, mas vou apostar em Lady Gaga porque esse clipe dela é épico! É realmente um minimovie, e se tem algum aí que um leigo como eu enxerga que merece esse prêmio, esse é Paparazzi.
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Lady Gaga - "Paparazzi" - Fácil de acertar também, vai :P
Green Day - "21 Guns"
Cobra Starship feat. Leighton Meester - "Good Girls Go Bad"
Britney Spears - "Circus"

Melhor Edição - Quase o mesmo para a categoria acima. Se um clipe é lindo de encher os olhos, então ele é bem editado? Bom, novamente, sou uma mera leiga opinando. Na falta de bases concretas, fico com Coldplay porque os adoro e acho que eles merecem levar mais de um prêmio esse ano.
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)" - Uia, que por essa eu não esperava! Mais um para a Bee e nada para os meus queridos do Coldplay ;/
Britney Spears - "Circus"
Miley Cyrus - "7 Things"
Coldplay - "Viva la Vida"
Lady Gaga - "Paparazzi"

Melhor Efeito Especial - Putz, efeito especial é uma categoria complicada. Não vi nenhuma superprodução aí... Vou apostar no Eminem não porque eu quero que ele ganhe, mas pq é o primeiro que me vem à cabeça quando penso em efeitos bizarros e peitos crescendo por efeito, enfim...
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Gnarls Barkely - "Who's Gonna Save My Soul"
Lady Gaga - "Paparazzi" - Onde que tem efeito especial nesse clipe, por Deus? :P Mas enfim, mais um prêmio para a transformista da noite, haha.
Eminem - "We Made You"
Kanye West feat. Mr Hudson - "Paranoid"

Melhor Cinematografia (até o momento não achei o resultado desta categoria :/) - Eu não acabei de falar lá em cima que o clipe da Lady Gaga é um minimovie? Looogo, o prêmio de cinematografia (nem sabia que essa categoria existia e não estou muito certa sobre o que ela avalia, estou indo por dedução sintáxica aqui, haha) deve ir para ela. Sorry again, Britney ;/
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Coldplay - "Viva la Vida"
Lady Gaga - "Paparazzi"
Green Day - "21 Guns"
Britney Spears - "Circus"

Melhor Direção de Arte - Direção de Arte em design é uma coisa que eu até posso arriscar dizer que entendo alguma coisa, mas em clipe?! Vou de Coldplay de novo, só para contrariar o favoritismo ;) (mas já meio que conformada se a Lady Gaga papar esse também ;P)
Beyoncé - "Single Ladies (Put a Ring on It)"
Britney Spears - "Circus"
Lady Gaga - "Paparazzi" - Maaais prêmio para Lady Gaga! O segredo é fazer clipe conceitual, gente. Mini produções, se espelhar em Thriller, galere!
Gnarls Barkley - "Who's Gonna Save My Soul"
Coldplay - "Viva la Vida"

Clipe mais Inovador - Vou votar nulo nessa categoria pq, vergonhosamente, não conheço nenhum dos candidatos, hahaha! Shame on me! :x
Death Cab for Cutie - "Grapevine Fires"
Gnarls Barkley - "Who's Gonna Save My Soul"
Cold War Kids - "I've Seen Enough"
Anjulie - "Boom"
Chairlift - "Evident Utensil"
Bat for Lashes - "Daniel"
Major Lazer - "Hold the Line"
Passion Pit - "The Reeling"
Matt & Kim - "Lessons Learned" - isso significa X para mim, haha. Brincadeira, vou até atrás do som desses caras para ver se simpatizo com algo ;)
Yeah Yeah Yeahs - "Heads Will Roll"

Melhor Vídeo que Deveria Ter Levado o Astronauta Prateado - Eu não sabia que raio de categoria era essa até ler o que estava no link lá em cima, confiram: "O VMA irá dar uma chance para vídeos mais antigos que não venceram o prêmio quando foram lançados." Então, ok, vou votar em Foo Fighters porque os caras são foda excepcionais e eu não gosto quando eles desaparecem da mídia.
U2 - "Where the Streets Have No Name"
Dr. Dre - "Nuthin' But a 'G' Thang"
Beastie Boys - "Sabotage" - Beastie Boys é clássico, não conheço a música, mas vá lá, não era uma categoria que eu estava torcendo fervorosamente, então, que seja ;)
Björk - "Human Behavior"
Radiohead - "Karma Police"
George Michael - "Freedom"
Foo Fighters - "Everlong"
Tom Petty and the Heartbreakers - "Into the Great Wide open"
OK Go - "Here It Goes Again"
David Lee Roth - "California Girls"

Sobre as apresentações, os comentários estão logo abaixo (que fazem deste post um dos mais longos que já postei aqui, haha!):

Janet Jackson abriu arrasando na apresentação em homenagem ao irmão. Sério, a intro com um megamix de vários músicas deles e depois fechando com o dueto dos dois em Scream foi para começar chutando portas na apresentação. Homenagem mais do que merecida (incluindo o discurso da Madonna antes do show, que foi de uma humanidade sem tamanho!) para o Rei do Pop.

Taylor Swift arrasou na apresentação! Fizeram um pré-gravação dela curtindo uma festa no metrô ao som da fofíssima You Belong With Me e combinaram com a apresentação ao vivo dela do lado de fora do prêmio. Incrível! Linda, toda diva, arrasou mesmo depois daquele bafafá. Vestido vermelho mais do que maravilhoso combinado com aquela cabeleira loura maravilhosa que ela tem :)

Eu esperava MUITO da apresentação da Lady Gaga. Sério, a nega disse que era o sonho dela se apresentar no VMA. Aí o que ela faz? Canta uma musicazinha comum e simula a própria morte no palco, com um figurino de gosto duvidoso =/ A versão de Paparazzi meio vitoriana ficou linda, porém, a apresentação, no geral, ficou macabra, achei de mau gosto.

A apresentação da Beyoncé não teve para ninguém, né? Single Ladies foi o hit do ano e foi o que ela apresentou, óbvio. Aquela coreografia é uma coisa altamente reprodutível (apesar da complexidade, haha) e a nega ainda me apresenta junto com umas vinte e seis outras dançarinas, todas no mesmo passo! Incrível e matou a pau (à sua maneira, é claro) a da Lady Gaga (difícil de admitir, but its true).

Aí tivemos Muse que eu também gosto, porém, não conhecia a música, então fiquei meio que boiando na apresentação ;( Mas os caras são demais :) Ainda preciso me acabar com o CD novo deles o/

Não estava dando muito bola para a apresentação da Pink, não (apesar de gostar bastante dela). Aí ela vem e me canta a sabe-se Deus quantos metros de altura, balançando feito uma malabarista profissional enquanto cantava o hit Sober. Amei! Mesmo com o seio de fora (propositalmente, mas nada vulgar), a apresentação ficou linda, suave, emocionante até. Parabéns, Pink! Te curto porra-louca, mas te amo assim, sofisticada! ;)

Para encerrar tivemos uma apresentação que na MIIINHA opinião foi o porre da noite. Jay-Z é o rapper random master para mim e a Alicia Keys é ótima somente em algumas músicas... Os dois juntos foram apenas para fechar a noite, já que não tinha nada melhor, sabe? Chato demais, sorry :T

O bacana da noite foi a presença do trailer do filme/documentário sobre o Michael Jackson: This is It. Me arrepiou, confesso. Também tivemos trailer de Lua Nova dando o ar da graça por lá, mas esse eu nem liguei muito pois já tinha visto antes, hihi.

E é isso :) Uma das premiações se foi. Na semana que vem volto para falar do não tão badalado Emmy, mas ainda assim, na torcida pelo meu amado e idolatrado médico <3

komatsu

Livro 7/36 - O Menino do Pijama Listrado

"O pai riu, o que deixou Bruno ainda mais triste; nada o deixava mais bravo do que quando um adulto ria dele por não saber alguma coisa, especialmente quando ele estava tentando descobrir a resposta fazendo perguntas." - Pg. 50, O Menino do Pijama Listrado.

Acho que os livros que "caem" na minha mão ao acaso são sempre os melhores. Este aqui, por exemplo, foi presente do namorado (com direito a dedicatória e tudo!). Já tinha ouvido falar da história, só que bem mais da versão em filme (até pq a imagem que me vem à mente quando penso nesse livro é sempre o cartaz do filme, com o guri sentado do outro lado da cerca).

Me surpreendeu de início, ler na aba do livro que o autor o tinha escrito em apenas dois dias e meio. Depois, pensando bem, concordei que não era mesmo uma história muito complexa para precisar de mais tempo para ser escrita. Eu mesma poderia ter lido o livro em menos de dois dias se não tivesse outras coisas para me ocupar a cabeça.

A história é simplesmente um relato da vida de Bruno, um garoto de nove anos, que vive numa bela casa em Berlim cercado de criados e sua família: a irmã Gretel (que se acha a superior, por ter 13 anos, mas na verdade é apenas uma puxa-saco e cabeça de vento), o pai (um oficial do alto escalão nazista, muito rigoroso, mas ainda assim, preocupado com o bem-estar da família) e a mãe (pouco presente no livro... sua presença é mais para marcar a submissão ao pai e à sociedade, pois o livro a mostra como alguém que não trabalha, uma dona-de-casa).

Tudo muda quando o "trabalho" do pai os obriga a ir morar na Polônia, ao lado de um campo de concentração nazista. Lá, Bruno, um dia cansado daquela monotonia toda do novo lugar, resolve sair para explorar e ao circundar o campo, acaba encontrando Shmuel (imagine a minha cara tentando pronunciar isso corretamente ao ler o livro), um garoto muito parecido com ele em alguns aspectos, e que mora dentro do campo.

O lindo do livro é que ele é contado pela visão do garoto Bruno, portanto, tudo que para nós é muito simples, muito claro, como a ação do nazismo, para ele são apenas fatos que ele não consegue entender. A inocência do garoto é muito explícita no livro e me leva a questionar como um autor adulto conseguiu captá-la através dos diálogos que ele estabelece com o menino dentro do campo de concentração? A percepção de ambos é tão diferente e ao mesmo tempo, eles conseguem se tornar amigos, acima de qualquer situação.

O final é surpreendente e emocionante, mas eu jamais ousaria entregá-lo aqui. Sugiro a todos que leiam o livro ou assistam o filme. Eu ainda não vi o filme, mas pretendo, tão logo eu o encontre disponível para alugar. Amigos que já o viram garantem que a adaptação faz jus ao livro, sendo, talvez, até melhor que a obra original.
  • Current Music
    I Hate this Part - The Pussycat Dolls
  • Tags
marion, marriot, leca, m2m

Filme 18/48 - A Proposta

Sandra Bullock é uma atriz que eu adoro deeesde Velocidade Máxima (sempre achei que a química entre ela e o Keanu Reeves era perfeita!). Certeza que foi por causa dela que A Proposta me cativou. Sem querer desmerecer o restante do elenco (até porque o maravilhoso Ryan Reynolds que contracena com ela também rouba a cena), mas é ela quem segura a história meio chinfrim.
 
Basicamente, ela é uma editora brilhante porém, do tipo carrasca que não liga para todos ao seu redor, que precisa dar um jeito de continuar no país. Como ela faz isso? Tendo a brilhante ideia de se casar com seu assistente-capataz-faz tudo. Porque ele topa se envolver com a perua? Porque oras, ele tem um sonho de se tornar editor também, ela é quase que uma inspiração para ele. Sendo assim, ambos entram na roubada. As coisas se complicam quando um oficial decide que irá pegá-los na mentira. Para evitar isso, ela vai passar um final de semana com a família dele para saber mais sobre ele e não ser descoberta no meio da farsa. E é aí que a história se desenrola ;)
 
Não que eu seja a favor de spoilers, mas bem... em uma história assim o final é MUITO previsível, então, sim, eles ficam juntos no final, com todo aquele melodrama básico e o romance bonitinho que faz nós, mulheres, suspirarmos ao final do filme (ou nos revoltarmos, hahaha, sempre precisamos considerar as revoltadas, do contra, alternativas e afins :P). Por ser uma comédia romântica, é claro que o filme tem umas sacadas muito, muito boas. Destaque especial, novamente, para Sandra Bullock, arrasando no funk (?).


  • Current Music
    Love Game - Lady Gaga
  • Tags
cuddy

Paixões: Hugh Laurie

Com a data de estreia da nova temporada de House se aproximando rapidamente (dia 21/09, para quem ainda não sabe), é normal que comecem a surgir em diversos meios entrevistas, matérias e vídeos para ajudar na divulgação.

Muito recentemente, descobri neste site um photoshoot maravilhoso e recente com o novo House (digo isso por causa do visual semi-carequinha, haha). Minha favorita deixo abaixo :)

Lá também encontrei o registro de um webchat feito com ele e alguns fãs. Tem algumas perguntas maravilhosas, mas a que achei mais interessante foi, sem dúvida, esta abaixo:

"- Qual a palavra mais sexy da língua inglesa?
- As palavras mais sexies são Triumph Scrambler."


Alguém arruma um vídeo deste homem falando isso, por favor? ♥


Te deixaram careca e com barba de velhinho, mas aaah... nada tira o charme desses olhos!



  • Current Music
    Eh, Eh (Nothing Else I Can Say) - Lady Gaga
  • Tags
    , ,